Então e porquê Crónicas da Barriga? Porque era o nome do blog que queria ter escrito durante a gravidez. Ainda vou a tempo? Não, a miúda tinha quase 4 meses quando o blog começou. E então? Então, nada!
2.11.08

"... because you see when a new baby laughs for the first time a new fairy is born..."

J.M. Barrie, Peter Pan

 

Hoje, nasceu uma fada: o primeiro riso da M. ouviu-se em toda a sala e nós rimos com ela.


Cá em casa e no carro alternamos o Era uma vez um cavalo e o Brincando aos Clássicos com Dave Matthews e o cd Jazz and the 80´s. Somos ecléticos.


1.11.08

No ano passado, decidimos ter um filho e, em Outubro, pusemos mão à obra (salvo seja). A coisa correu bem e no final do mês tivemos a confirmação. Por mais consciente que se esteja, aqueles dois riscos cor-de-rosa provocam um turbilhão de pensamentos e emoções.

 

Uma das primeiras coisas que me lembro de pensar foi que os motivos de ansiedade vão-se sucedendo: assim que descansamos porque ouvimos o coração na primeira ecografia, começamos a contar os dias para a ecografia das doze semanas, daí passamos para os rastreios, depois as sucessivas ecografias até ao parto. Mas e depois? As consultas mensais, as vacinas, o aumento de peso, cada fase implica dúvidas, receios, inseguranças.

 

Mas ainda nem quatro meses passaram e já não me lembro de como era a nossa vida sem a M. Boa, sim, mas nada que se compare a isto. Nada que chegue ao pés de um sorriso dela, da maneira como encosta a cara à nossa quando lhe damos beijos, do resmungar cada vez que lhe vestimos as mangas de qualquer peça de roupa.

 

A vida fica de pernas para o ar, mas depois percebemos que é mesmo assim e é tão bom. Quem ia imaginar?


A M. vai fazer quatro meses no dia 4 de Novembro e eu vou trabalhar no dia anterior. Não estou stressada, nem deprimida, nem ansiosa... mas vou sentir muitas saudades dela. É que a rapariga já faz companhia e, parecendo que não, a pessoa habitua-se a ter alguém que se ri loucamente (embora sem som) quando nos vê.

Não há escolhas perfeitas: para falar a verdade, não me passaria pela cabeça ficar em casa com ela, mas ficar tantas horas longe da minha filha vai ser estranho, to say the least. É que há um ano e qualquer coisa que estamos sempre juntas.

 

Por R, às 03:06  comentar

"É difícil amamentar. Embora seja um processo natural. Embora pareça fácil. Embora ames o teu filho mais que tudo no mundo.
O que temos de saber é: queremos ou não amamentar?
Se queremos a regra numero um é fazer ouvidos moucos aos comentários das mães, sogras, amigas... Segue o teu coração. Segue o que sabes é melhor para ti e para o bebé.
Perguntas-me como fazer para ter mais leite. Nada. Não faças nada.
Deixa que o bebé quando tem fome pede. E tu dás. Não esperes não sei quantas horas. A OMS saúde diz que o teu bebé deve mamar quando tem fome. Tu comes quando tens fome.
A tua mãe, sogra, marido e amigas todas, não ficam á espera da hora em que a enfermeira te mandou comer. Vais comer uma sandes, uma peça de fruta. Se tens sede? Não vais beber um copo de água?
Truques para ter leite bom: comer bem. Hidratos de carbono. Massa e pão e cereias. Comer alimentos variados e saudáveis. Apetece-te um doce, come. Apetece-te uma laranja? Come!
Não é preciso beber água demais!
Truques para ter mais leite: estás muito cansada? Descansa.
Truques para ter leite: não dar mais nada.
O teu corpo produz leite. O leite não se acaba. Quando o bebé mama, o teu peito enche novamente. Quanto mais mama mais leite tens.
Consegues fazê-lo. Se quiseres, consegues. Porquê? Proque fazemos isto há milhares de anos. Porque o nosso leite é tão bom, que alguém se lembrou de fazer uma imitação rasca e chamá-la suplemento, que é caro, e que nós vamos comprar para dar um a fingir, quando temos o original, de graça, já aquecido e prontinho...
Somos capazes. Mães famintas, subnutridas em países cheios de dificuldades e fome a sério dão do seu leite aos seus filhos e eles crescem e o leite delas cresce dentro delas.
Elas são capazes.
E tu tens de dizer que também és. Tens de acreditar nisso. Tens de ser mãe e deixar que os outros todos te façam pensar ou sentir que és menos mãe. Tu és a mãe. E dás leite. Leite bom. Leite que chegue.
Acreditas?
Eu acredito."

Eu acredito. Obrigada.


Porque esta aventura começou há mais ou menos um ano atrás (para ser mais precisa, há um ano e dois dias atrás, soube que estava grávida, por isso, a aventura já ia com umas semanitas).

Porque vou regressar ao trabalho daqui a dois dias.

Porque isto é mesmo bom e eu acho que o resto do mundo não sabe.

Por R, às 02:52  comentar

Atendendo ao título e ao adiantado do ano, é bastante provável que este blog vá sofrer flash-back´s.

Por R, às 02:50  comentar

Qual é a queixa mais comum nas jovens mães de bebés pequenos? Sono.

O que é que eu estou a fazer no blog às duas e tal da manhã? Combater a insónia.

Por R, às 02:38  comentar

Sobre a M.
Nascida a 4 de Julho de 2008, com 3,880 kg, 50 cm e as maiores bochechas do mundo.
Sobre o P.
Chegou a 24 de Setembro de 2010, com 3,380 kg, 48 cm e os olhos mais doces do mundo.
RSS
blogs SAPO